ASAFE, O DISCÍPULO LEVITA

I Cr 9:15
“Matanias, filho de Mica, filho de Zabdi, filho de Asafe, o dirigente que iniciava as ações de graças na oração, e Baquebuquias, o segundo entre seus irmãos; depois”. Ne 11:17

O nome Asafe significa “aquele que reivindica direitos legais”, “reivindicador das bênçãos espirituais” ou “reivindicador da misericórdia divina”. Na bíblia podemos observar que nunca se vê Asafe reivindicando direitos materiais, no entanto era um dos levitas mais ricos. “Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33. Poucos cristãos entenderam verdadeiramente o significado de Efésios 1:3, mas para sermos bons levitas devemos entender que Deus já nos providenciou todas as coisas:

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo” Efésios 1:2.

Asafe também significa “É Deus quem faz”, “Deus é quem executa” ou “Deus é quem realiza”. Outro significado para Asafe é “Deus é quem o responsabiliza”.

O nome Asafe vem da raiz Asar El que significa “É Deus quem faz”. Significa sair do controle humano, sair do próprio governo e entrar no controle divino. Asafe era chamado o homem que dependia e se alimentava apenas do altar de Deus.

Asafe também significa “Médico que cura”. O levita é um médico, ele tem funções terapêuticas, tem palavras de ânimo, de consolo e edificação. Aquele que cura as feridas e não somente trata. O levita tem na boca palavras de ressurreição e vida. O nome significa “Aquele que trata”, o levita é aquele que cuida dos irmãos, que leva o bálsamo, que cura o ferido ao invés de fazer feridas.

Antigamente, se um levita ficava doente, ele era retirado de seu ofício porque isto era considerado mau testemunho pois um levita deve se cuidar muito bem, e então era afastado somente para se tratar, mas isso dificilmente acontecia, pois os levitas se cuidavam muito bem e só comiam o que era bom. O levita é aquele que tem saúde, vigor, força, é aquele que retém a alegria e o regozijo.

1. O levita é discipulado

Ser levita não é algo que se “inventa” mas sim, algo que se “forma”. Se quisermos levitas de excelência em nossa equipe, devemos primeiramente ser este levita, devemos idealizar o levita dos sonhos e pagar o preço para ter esse levita. Ninguém nasce levita, um levita é formado, acompanhado, um levita é discipulado. Ninguém poderá ser um excelente levita se não for discipulado, o discipulado é a base para o caráter levítico e só teremos levitas com caráter de levita se eles forem discipulados debaixo da unção de levita.

O ser humano já nasce com pré-disposições para exercer determinadas atividades, mas se essas tendências não forem detectadas a pessoa pode nunca saber quais suas verdadeiras habilidades e uma das maiores frustrações de um ser humano é somente na velhice, descobrir que está no lugar errado.

“Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei; às nações te dei por profeta”. – Jeremias 1:5

Quando Nadabe e Abiú morreram ao oferecer fogo estranho no altar de Deus (Nm 3:4) eles foram substituídos por Itamar que passou a ser sumo-sacerdote na Casa do Senhor, porém, antes disso, Itamar foi o levita responsável pela limpeza das cortinas e dos tapetes do Templo do Senhor (Nm 4:26-28). Muitas pessoas querem começar por onde outros estão terminando, querem o púlpito, mas não sabem o que é limpar o templo.

2. O levita é adorador

Os levitas são chamados por Deus para serem adoradores em todo lugar. O adorador não escolhe lugar nem o tempo de adorar, ele está sempre disponível para adorar o Rei. Antigamente os levitas ligavam o sucesso do louvor e da adoração à quantidade de pessoas presentes, hoje sabemos que o sucesso maior é a consciência de sabermos quem está presente e recebendo a adoração. Os melhores compêndios musicais bíblicos não foram compostos com multidões nem diante de grandes auditórios, foram compostos a sós com Deus e neste ponto vemos quem é o verdadeiro adorador e onde está seu interesse, se está em gente ou em Deus.

O ministério levítico implica em três chamados básicos para adoração:

2.1. Chamado para adorar na Casa de Deus

“Estes são os que Davi constituiu sobre o serviço de canto da casa do Senhor, depois: que a arca teve repouso”. I Crônicas 6:31.

O ministério do levita não é um auto-chamamento, o levita ele não se auto-vocaciona e nem é chamado por terceiros, ele é chamado por Deus. Muitas pessoas querem “adorar na Casa do Senhor” pensando que adorar é ter uma oportunidade de ter o microfone na mão e isso é uma função e não um chamado.

2.2. Chamado para adorar nas comunidades

Aonde o levita vai, ele adora a Deus, independente das circunstâncias ou da prova que se esteja enfrentando, devemos exercitar a adoração durante as tribulações. A adoração atrai o Tono de Deus, e onde o Trono de Deus está, acabam-se os problemas;

2.3. Chamados para ministrar na presença do rei (2Cr 6:3)

Os levitas em Israel ministravam na Casa do Senhor, ministravam na comunidade ensinando adoração, mas depois tinham um compromisso de estar diante do rei.

Asafe também era conhecido como compositor de excelência, ele compôs 12 salmos que são considerados por todos os teólogos como salmos de caráter profético: Salmos 50 e Salmos de 73 a 83:

1. Trazer a essência do culto a Deus: intimidade, confissão e arrependimento (Salmo 50)

2. Declarar a prosperidade do justo e denunciar a “prosperidade” do ímpio (Salmo 73);

3. Liberar sentimentos proféticos (Salmo 74);

4. Manifestar a justiça de Deus e trazer a unção sobre a justiça (Salmo 75);

5. Trazer a majestade e o poder de Deus nos cultos (Salmo 76);

6. Conhecer as grandes obras e as misericórdias de Deus (Salmo 77);

7. Profetizar a providência divina na história do seu povo através da música (Salmo 78);

8. Declarar a vingança do Senhor contra os seus adversários, principados, potestades e demônios; (Salmo 79);

9. Buscar a restauração do Senhor para si e para os outros (Salmo 80);

10. Chamar o povo para caminhar em retidão e obediência diante de Deus (Salmo 81);

11. Denunciar as injustiças dos corruptos (Salmo 82);

12. Decretar o juízo de Deus às nações pagãs (Salmo 83).

3. Asafe, o discípulo profeta

O levita não é só um sacerdote ele é um profeta. Os levitas cantores são profetas que cantam assim como os levitas dançarinos são profetas que dançam.

Em 2Cr 29.30 podemos ver uma narração sobre o espírito profético que estava sobre Asafe que era chamado vidente. Vidente é aquele que vê no reino do Espírito, é aquele que tem sensibilidade auditiva e sente as coisas espirituais. Nada fica oculto quando o levita é um profeta, ele vê no reino do Espírito, tudo é descortinado e ele consegue ver o Trono de Deus aberto.

Quando começamos a ver, ouvir e a sentir no reino do Espírito não fazemos qualquer coisa para Deus, nossos sentimentos muda, nossa audição se afina e nossa visão se ajusta.

Um bom exemplo de levita profeta foi Habacuque cujo próprio nome significa “profeta que canta” e que escreveu um livro inteiro de cânticos.

“O Senhor Deus é minha força, ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos. (Ao regente de música. Para instrumentos de cordas.)” Habacuque 3:19.

4. Asafe, o responsável pela purificação do templo (2Cr 29:13-30; 35:15).

A purificação do templo no ministério de Asafe está relacionada ao sacrifício, porém, hoje temos várias maneiras de deixar o templo do Senhor purificado. Levando o povo à consciência do Cordeiro de Deus. Os levitas não podem deixar de pregar o Plano da Cruz, pois não tem como alguém ser edificado sem conhecer a Cruz. Existem hoje, muitos movimentos que promovem apenas reuniões de confissões positivas, porém tais reuniões não terão sentido sem a lembrança do Calvário que é o remédio para toda a humanidade.

5. Asafe um discípulo levita

Asafe tinha consciência de discipulado suficiente para gerar outros levitas. Em I Crônicas 9:15 e Neemias 11:17 podemos ver que Asafe foi legitimado. O que é ser legitimado? É ter um referencial, um respaldo por trás, alguém que o legitimou para tal função. Hoje muitos levitas exercem seus ofícios simplesmente porque foram chegando e aos poucos estavam lá fazendo aquilo, estão fazendo coisas que nunca foram chamados para fazer. Só o ministério estabelecido dá fruto.

Todo levita precisa ser legitimado na unção. A bíblia diz que Asafe foi legitimado por Davi com o azeite do shofar que foi derramado da cabeça à planta do pé. E porque Davi o fez? Porque ele também foi legitimado pelo profeta, sacerdote e juiz Samuel. Só poderá ungir quem estiver ungido e autorizado para ungir. Para um levita ter êxito precisa primeiro ser legitimado, ou seja, autorizado para. Devemos valorizar a unção que Deus nos deu, a bíblia diz que não devemos ser negligentes com a imposição de mãos, tanto para impor as mãos como para receber unção.

“Não negligencies o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero”. I Timóteo 4:14.

Na ética hebraica, Davi representa a figura de Jesus. Ele era conhecido como o messias do Antigo Testamento, ele era a figura do pastor, a figura de autoridade então porque Asafe foi formado? No âmbito físico sabemos que foi por Davi, e dentro do âmbito espiritual pelo Senhor. Asafe era o cantor-mor do rei Davi o que significa que somos cantores-mor do Rei dos reis. Asafe tinha muitas atividades, porém esta era uma atividade especial da qual não o rei abria mão (I Cr 15:4-7).

Asafe recebeu a unção através Davi para quatro fins específicos:

1. Para ser ministro da Casa do Senhor;

2. Para ser sacerdote na comunidade onde vivia;

3. Para ser profeta na Casa do Senhor e profeta para o povo de Israel;

4. Ele foi ungido para ser levita cantor da Casa do Pai.

Ser ministro fala da autoridade da palavra, ser sacerdote fala da cura, ser profeta fala da visão e ser levita fala da administração.

6. Existem dois tipos de ministérios específicos que foram gerados por Asafe: (I Cr 25:1,2 Es 2:41)

1. Genitor físico de levitas físicos;

2. Genitor espiritual de levitas espirituais.

Asafe era um levita completo em seu exemplo (I Crônicas 25:1-2; Esdras 2:41) porque ele era um reprodutor da visão dos doze. Asafe fez 12 declarações de caráter profético. Em I Crônicas 25:1-2; Esdras 2:41 podemos ver dois tipos de “gestações espirituais”, Asafe era genitor de filhos físicos, mas também de filhos espirituais e ele gerou 12 filhos espirituais e 128 levitas renomados em Israel de sua genealogia totalizando 144 filhos.

Asafe tinha um ministério de reflexo e qual o reflexo do ministério do levita? Todo levita conquista a sua cidade. Asafe influenciou, conquistou e modelou toda a cidade na adoração (I Cr 5:18-26; 6:8-40).

É responsabilidade do levita padronizar a adoração em:

1. Na própria casa. A casa do levita precisa ser a sede da adoração

2. No ministério local. Seja na introdução, administração, no som, nos instrumentos, dança, música etc. O levita dá o melhor da sua adoração a Deus onde estiver plantado.

7. As cidades da descendência de Asafe

Podemos ver em I Crônicas 6:62, 63b e 64-69 que os levitas tinham doze cidades cada cidade levava o seu nome e cada nome correspondia à sua conquista. Somente os levitas conquistaram exatamente doze cidades e eram as únicas cidades nominadas. Na história veremos que as outras cidades foram divididas, porém as doze cidades dos levitas permaneceram de pé e até os dias de hoje conservam os mesmos nomes.

A primeira cidade conquistada pelos levitas foi Hebrom que significa “Centro das estratégias de guerra” e esta cidade foi a que deu base, condições e estratégias e até os dias de hoje é onde se têm mais conflitos em Israel, pois até mesmo os inimigos de Israel sabem de daquela cidade vem as estratégias para conquistar as outras cidades. Foi de Hebrom que Abraão conquistou Jerusalém, foi de lá que Josué derrubou Jericó e também foi de Hebrom de Davi conquistou todas as outras cidades. Asafe tinha uma linguagem de conquista e não de derrota.

8. O ministério de Asafe tinha cinco identificações que respaldavam sua unção:

1. I Cr 6:31a – Ministério de cânticos na Casa do Senhor;

2. I Cr 6:31b – Reconhecer a importância do repouso e reconheceu a importância da presença da Arca da Aliança;

3. I Cr 6:32a – Ministrou diante do Tabernáculo e de toda congregação;

4. I Cr 6:32b – Permaneceu na adoração 24 horas até o templo ser construído;

5. I Cr 6:32c; Lv 6:13-14 – Exercitou o seu ministério segundo os princípios bíblicos.

O ministério de Asafe também era um ministério de cobertura espiritual, o que significa que era um ministério de prestação de contas. O ministério de Asafe estava debaixo de uma unção estabelecida e respaldada.

O ministério do levita é um ministério eterno porque não é egoísta, individualista ou particular, mas é um ministério comunitário onde todos podem falar. É um ministério que comunica e é um ministério comentado (2Cr 29:30-31).

9. O Levita honra sua genealogia

O levita conhece sua genealogia, pois para dar a direção para o futuro precisamos conhecer o próprio passado. Cada levita honra a sua descendência, quando Moisés morreu, a crise de Josué era fazer o que Moisés fez, porém Deus disse “Vá, porque quem fez foi Eu, e não Moisés, e Eu serei contigo e assim como fiz com Moisés, farei contigo e tu farás esse povo herdar a terra prometida”. E porque Josué sofreu tal crise? Porque Moisés fez história. O levita tem uma descendência memorável, o levita faz história.

Comments are closed.