Admoestação dos Insubmissos

Nós temos na porção de I Tessalonicenses citada a seguir, alguns dos deveres dos cristãos, segundo a ordenança do apóstolo Paulo, que ele recebera de nosso Senhor Jesus Cristo.

1Ts 5:14-23 Exortamo-los, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimes para com todos.
Evitai que alguém retribua a outrem mal por mal; pelo contrário, segui sempre o bem entre vós e para com todos.
Regozijai-vos sempre.
Orai sem cessar.
Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.
Não apagueis o Espírito.
Não desprezeis as profecias;
julgai todas as coisas, retende o que é bom;
abstende-vos de toda forma de mal.
O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Não é no momento, nosso intuito, comentar cada uma das ordenanças destacadas, mas focar nossa atenção à primeira exortação dadas aos cristãos quanto ao dever de se admoestar os insubmissos.
Admoestar significa repreender branda e benevolamente, denunciando o mal feito e encarecendo o bem a fazer.
A repreensão deve ser branda em razão de seguir o mesmo espírito recomendado para o modo de se tratar com os fracos (amparar), com os desanimados (consolar), e em relação a todos (com longanimidade).

Como a admoestação se aplica aos que são insubmissos, ou seja, aos que não se submetem à doutrina do evangelho, aos que resistem à Palavra de Deus, apesar de se declararem cristãos, então, na falta de arrependimento, e insistência em permanecerem no citado comportamento, os mesmos devem ser disciplinados, conforme se ordena em textos como os seguintes, que foram dirigidos também aos tessalonicenses:

2Ts 3:6-7 Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebestes;
pois vós mesmos estais cientes do modo por que vos convém imitar-nos, visto que nunca nos portamos desordenadamente entre vós,”

2Ts 3:14 Caso alguém não preste obediência à nossa palavra dada por esta epístola, notai-o; nem vos associeis com ele, para que fique envergonhado.”

Desta forma, observamos que Cristo não deixa de ser paciente, longânimo, condescendente, amparador e consolador em relação a todos os cristãos, mas os submeterá à disciplina da aliança feita com eles, caso andem contrariamente ao modo que devem se comportar, conforme revelado nas Escrituras.

 

Fonte: gospelmais

Comments are closed.