A arqueologia no Estado de Israel não para de surpreender pela variedade e rique de detalhes, a descoberta que foi revelada bem próxima a festa de Hanukkah onde o azeite é de extrema importância, lança luz à indústria do azeite na era da antiguidade.

A descoberta que foi feita na região de Ein Tzipori, na Galileia Baixa, é uma das mais interessantes, foi descoberto no local restos de um azeite fabricado há pelo menos 8.000 anos, o que pode ser considerado o testemunho do uso do azeite mais antigo em toda Terra Santa ou até mesmo em todo o Oriente Médio.

As insformações foram divulgadas pela Autoridade das Antiguidades de Israel e pelo jornal Israel Journal of Plant Sciences de uma faculdade de ciência de Israel.

A descoberta foi feita após os arqueólogos enviarem para um laboratório na Universidade Hebraica de Jerusalem, amostras de cerâmica para identificar os resíduos orgânicos dos mesmos, em uma das amostras foram identificados resíduos de azeite antigo que foi comparado ao moderno, o que demonstrou muita semelhança.

A descoberta demonstrou com a investigação de que a conservação do mesmo é praticamente um milagre e demonstra que já havia cultivo de azeitonas mesmo antes do período histórico.

Os arqueólogos declararam que após a descoberta dos restos de azeite de oliva puro que podem ser vistos na foto ao lado, o quebra-cabeças da alimentação na era da antiguidade ficou completo.

A alimentação básica de todo a região mediterrânia era baseada no Azeite, Trigo e Vinho, exatamente os três elementos mais citados como alimento básico na Bíblia, o que re-afirma a veracidade dos relatos nas Escrituras Sagradas.

Fonte: cafetorah

Comments are closed.