Paz do Senhor! Alguns decretos celestiais parecem se eternizar nas nossas vidas. Deve-se, primeiramente, resolver as desavenças com o próximo, conversando pessoalmente, detalhando os atos cometidos, pedindo perdão pelo sofrimento causado. O perdão deve ser pedido pelo próprio causador, a não ser que este saiba ser impossível fazê-lo, que o agredido preferirá e aceitará melhor, se vier por meio de mensageiro. Por fim, confessar verbalmente o pecado diante de Deus.  Tiago 5:16. “Portanto, confessai vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros para serdes curados. A súplica de uma pessoa justa é muito poderosa e eficaz”. No aramaico, idioma praticado por Jesus, o Pai Nosso tem como única exigência: ‘desamarra-nos, assim como desamarramos a quem prendemos’, ou, perdoa-nos assim como nós perdoamos nossos devedores. Perdão é cura! Perdão é livramento! Perdão é dar e receber vida novamente! Mateus 1:21.  ”Ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados”.  Pr. Renato Rates.

Comments are closed.